Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Roma’

Algumas palavras são belíssimas e atraem quem escreve ao seu uso. Para mim, a palavra cristal tem essa capacidade. Considero-a sonora e transparente… Um móbile de sílabas balançando no ar.

Marido retornado ao lar, estou em Roma por mais um tempo sob a escolta da sogra e da cunhada. E foi com ela que conheci dois lugares que me encantaram, seja por seus nomes, seja pelo que vendem. São a Cristalli di Zucchero e a Polvere di Tempo.

Cristais de Açucar… Juntar minha palavra preferida com algo tão doce é o máximo. Ou não. O máximo mesmo é a confeitaria em si. Doces lindos e sem dúvida o melhor cornetto que já comi na vida, recheado com creme e uma fruta deliciosa chamada visciole (desconheço o que vem a ser. É roxa, se ajuda).

Um cornetto com visciole e outro com creme e pistache…

Cristalli di Zucchero.

Passamos a manhã toda em um curso de comida vegetariana-macrobiótica, onde aprendi o conceito da pasta madre. Essa “massa mãe” trata-se de um fermento base feito apenas com farinha e água, mantido em um recipiente e sempre “reavivado”, como insistiu várias vezes a cozinheira: é matéria viva, signora! É usado para tudo: massa de pizza, pães, cornetos, massa folhada. O que a minha cunhada adquiriu hoje, por exemplo, tem muitos anos de vida.

Será que descobri o segredo das massas italianas? Porque devo admitir: pizza como a daqui… não tem! O melhor de tudo é a Pizza al Taglio (pizza ao corte). Conceito que acho simples e delicioso e que não sei porque não pega no Brasil.

Pizza al taglio. Precisava existir no Brasil…

A cada esquina você encontra uma dessas cantinas onde entra e fica feito criança diante de um balcão coberto de pizzas retangulares dos mais diversos sabores. Depois de alguns instantes de profunda reflexão, você escolhe o sabor que deseja e de que tamanho você quer o seu pedaço. O pedaço é cortado, pesado, dividido ao meio e fechado uma metade sobre a outra. Por fim, é embrulhado em um papel e você sai, feliz como uma Páscoa (adoro essa expressão italiana) comendo aquilo pela rua.

E aqui, um recado em dialeto romano para quem acredita na importância do slow food.

Dialeto. Para mim, outra língua.

“Se vai entrar para comer aqui, deve sentar e esperar que a comida cozinhe. Mas se tiver pressa, tem um Mc Donald’s logo em frente”. Fofos, não?

Outro lugar especial, a Polvere di Tempo é uma loja charmosa em Trastevere, que quando passamos no começo do passeio, tinha um cartaz na porta dizendo “Torno quasi subito” (Volto quase logo). Na vitrine, bússolas e ampulhetas de todos os tamanhos e cores. E globos terrestres, coisa que acho que todas as casas deveriam ter, mesmo nesses tempos de Google Earth. Resolvemos voltar mais tarde. Ao entrar, para comprar uma miniatura de bússola para a coleção de meu pai, Grazia foi logo declarando que eu era brasileira. O dono começou a falar comigo em português e eu adorei conversar sobre Gilberto Gil, Chico Buarque, Florianópolis, José Serra – patriotismo é o primeiro sinal de saudades de casa. Adrian é argentino de Buenos Aires, gosta do Brasil e vive na Itália. Recomendo uma visita à loja cujo nome, em português, significa Poeira de Tempo. Combina, não?

Bússolas, globos e ampulhetas.

Voltando para casa, paramos em uma loja de brinquedos para comprar presentes. A loja é de uma moça francesa que, no caos, consegue indicar os brinquedos e livros que ela já leu e jogou com seus filhos. No tempo que fiquei ali, esbarrei e derrubei várias coisas. Mas ela se acha lá dentro!

Il Minotauro. O sonho de qualquer criança. Principalmente pela deliciosa bagunça.

Para encerrar, deixo uma reflexã0: porque, no “primeiro mundo”, as mercadorias comestíveis ficam expostas assim ao Deus dará, enquanto nós, suposto país em desenvolvimento, já prezamos muito mais as normas de higiene e comercialização?

Azeitonas ao vento.

Mais Roma em…

IMG_4469

Roma – Dicas de um romano

Roma – Artesanato

DSC00636

Roma e seus sabores

Read Full Post »

« Newer Posts