Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Parques’ Category

Curitiba é cheia de parques, que bom! Tem para todos os gostos, objetivos, temas. Para caminhar, para deitar na grama, para ver a cidade do alto. Longe, perto, ao lado de casa. Basta escolher. Quando quero caminhar (não se deixe enganar, não acontece com muita frequência), prefiro o São Lourenço, por ser um dos mais perto de casa. E porque é lindo.

Academia ao ar livre. Tem em todos os parques e praças de Curitiba.

No Parque São Lourenço tem frases dos nossos poetas.

Ele sempre soube.

Tem espaço para leitura.

E o mais bacana: é lá que fica o Centro de Criatividade de Curitiba. Muitas artes e artistas de nossa cidade começam ali.

E o Atelier de Escultura.

Para saber mais sobre o parque, entre aqui.

Mais Morar em Curitiba em:

Morar em Curitiba – Museu Oscar Niemeyer

Morar em Curitiba – Morretes

Morar em Curitiba – Gelada

Morar em Curitiba – ParCão

Morar em Curitiba – Casa da Bruxa

Morar em Curitiba – Praça Espanha

Você também pode gostar de…

Nova Iorque – Um dia no parque

DSC04505

Uma vilinha

Inspirei-me

Anúncios

Read Full Post »

Curitiba é conhecida pela quantidade e qualidade de seus parques. E são muitos, mesmo, e um é especial, o Bosque do Alemão. Além de estar imerso em uma floresta com grandes escadarias e estruturas de madeira, ele tem um caminho dentro do bosque onde andando, de tempos em tempos, você encontra painéis de azulejos que contam a história de Hänzel und Gretel (João e Maria). Bem no coração dessa pequena floresta está a Casa da Bruxa, que no nosso caso é uma simpática velhinha que, ao invés de comer criancinhas, prefere contar histórias para elas. A casa abriga uma biblioteca onde meninos e meninas podem deixar a imaginação voar, ao pé de uma lareira acesa, quando o frio por aqui aperta.

Estruturas de madeira e vista de Curitiba.

João e Maria nos azulejos. Dá vontade de deixar pedrinhas marcando o caminho.

Casa de Bruxa. Boa, porque conta história!

Tem bolacha da D. Erika no Bosque!

Falando em crianças e livros, me lembrei de mim, criança, e da minha relação com livros. Dá pra fazer uma lista das coisas que esse simples pensamento me traz:

1. as coleções da Condessa de Sègur e da Laura Ingalls que embalaram minhas fantasias de menina. Colonização americana e governantas faziam parte do meu imaginário.

2.  minhas caminhadas pelos corredores do Sion, feliz feito um cabrito, mas controlada nos passos como a educação rígida exigia (não me matou. Será que não é disso que nossos filhos sentem falta?). Lá ia eu pegar mais um livro para encher a minha ficha de biblioteca.

3. na casa de meus avós, em Blumenau, nas frias férias de julho, a alegria que sentia ao encontrar as coleções de Condensados da Seleções de meu tio Werner, livros em português! Meu avô era um leitor que levava a coisa a sério, mas só lia (e falava) em alemão.

E falando em crianças e livros, também me veio o filme You’ve Got Mail, que tem essa biblioteca:

E essa cena:

Essa conversa sobre livros e crianças tem um objetivo, você já deve ter percebido, certo? O Dia das Crianças está chegando e esse é um excelente momento para você analisar livros infantis que tiver em casa. Ou arrecadar com pessoas que conheça. E gibis, sempre! E não precisa ser só livro infantil, pois hoje temos diversos destinos para os livros que você pode “soltar” de suas estantes. Chega de prender livros. Eles estão loucos para seguir viagem.

Se for de Curitiba, encaminhe-os para nós, para a Freguesia do Livro.  Se for de algum outro lugar, procure iniciativas como a nossa, existe muita gente incentivando a leitura por aí. Para saber mais sobre esse trabalho: www.freguesiadolivro.com.br

Três coisinhas para encerrar esse post compridíssimo:

1. quando fui tirar as fotos no Bosque do Alemão, vi um taxi parado na frente do parque e seu motorista catando amoras! Aproveitei também!

2.  Onde gosto de ler: A a combinação cama-abajour-livro para mim é imbatível, e com um friozinho lá fora, então, sensacional. Ok, a cama pode ser substituída por sofá, rede, toalha na areia, cadeira macia, colo. Ponto de ônibus, saguão de aeroporto, assento de avião, sala de espera de dentista, quem se importa. Relação sem endereço, ela acontece em qualquer lugar.

E você, onde gosta de ler? Conte-me, por favor.

3. Agora chega! Mais uma cena de um filme que gosto e que tem toda a história relacionada a um livro que precisa ser encontrado para que tudo dê muito certo. E o livro é o Nos Tempos do Amor e do Cólera, de Gabriel García Marquez. Sensacional.

Para saber mais sobre o Bosque do Alemão, visite o blog Circulando por Curitiba.

Você também pode gostar de…

DSC_9545

Jabuticaba

Perca um livro

Antes dos livros

Read Full Post »

Envoquei e pronto. Queria porque queria fazer um piquenique no Central Park. E bati pé em mais outra coisa: tinha que ser com sanduíche da Zabar’s, lanchonete-loja-mercado famoso pela comida e por ser personagem coadjuvante de muitos filmes. Escolhemos sanduíches de salmão e de mozzarella de buffala e, munidas de cangas e lenços que viraram toalhas de picnic, lá fomos nós. Foi perfeito, como eu imaginei. Dia lindo, parque esplêndido, a vida americana em estado puro.

Imagens do passeio, já que dos sanduíches, nem migalha…

A gente, os bichos.

Nos bancos, pequenos pedaços de histórias. O fim perfeito para o dia perfeito: um cheesecake novaiorquino.

Você também pode gostar de…

DSCN1776

Torta de requeijão

Curitiba – ParCão

DSC_2214

Bancos de madeira pintados

Read Full Post »