Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Blogagem coletiva’ Category

O que você  acha que é uma coincidência? Coisas similares que acontecem com a gente assim, do nada? Ou uma força indefinida que faz você encontrar em Nova Iorque o mesmo livro que acabou de abandonar no Brasil, ou ligue o rádio e exatamente aquela música que você está tamborilando na cabeça desde que acordou está tocando? Ou sem a menor explicação, você sente um cheiro e se lembra da sua torta preferida, a de morango que sua mão fazia nos teus aniversários e 10 minutos depois liga uma amiga querida, e entre outras amenidades te diz “Sabe a torta de morango da tua mãe? Estou fazendo para o Enzo…”. Justamente porque não sei explicar é que coincidências me fascinam tanto!

Toda essa conversa para introduzir o assunto principal: a Elena, de um blog italiano que visito e acho lindo, fez um post onde dizia que, como Amélie Poulain gostava de afundar as mãos entre os legumes e quebrar a crosta do creme brulée, ela também resolveu se perguntar sobre coisinhas que lhe traziam alegria, enquanto esperava na fila do correio.

E a coincidência? No mesmo dia, encontrei esse blog, que sugere que a gente dedique 15 minutos por dia para fazer algo de que a gente realmente goste.

Inspirador, certo? Primeiro pensar e depois fazer. Pois eu tenho minha lista e pretendo executar o que for possível. E muito mais, porque a gente adora fazer muitíssimas coisas, só não tem tempo para priorizá-las. Ou fazê-las de maneira consciente:  “Agora eu estou fazendo isso porque gosto e porque mereço”…

Sombra de árvore em dia quente.

Andar à noite na areia morna, que guarda o calor do dia.

Descascar tangerina. O cheiro, o sabor.

Música dos anos 70 e 80. De preferência, para dançar!

Alcachofra. Principalmente o gostinho que fica na língua no final.

Começar um livro. Abrir na primeira página e reler várias vezes as primeiras linhas e ficar com vontade de um dia escrever um…

E também sugiro uma releitura desse texto da Martha Medeiros que fala disso e está nesse post.

Imagens: WeHeartIt, Pinterest.

Mais coisas que você pode gostar!

Captura de Tela 2013-07-03 às 19.45.44

Paixões vividas

Recomendo

Sabedorias

Read Full Post »

Amor. Mora no coração, certo? Mas são tantos…

Há aqueles amores que simplesmente são, vêm no pacote, nascem junto com a relação com pais, filhos, o companheiro escolhido, os amigos queridos. E há o amor do beijo, do abraço, do enrosco. Do calor, do desejo, da dor.

Há o amor por mim, quando acordo todos os dias, contabilizo rugas e dores, visto-arrumo-exercito-cozinho-compro-dirijo… e fico feliz por estar viva.

E há outros amores. Há amor quando acredito que a criança que está nas ruas é minha responsabilidade também, que um governo não se faz só de mandantes, que reclamar sem levantar da cadeira não resolve. Há amor quando saio do lugar, sacudo o comodismo, identifico as necessidades, arregaço as mangas e vou fazer uma, mesmo que pequena, diferença.

Há amor em mim quando brigo pelo direito à igualdade, o respeito à diversidade, a oferta de oportunidades. Quando peço a um idoso que me conte histórias e realmente as ouço, quando efetivamente não faço aos outros o que não quero que me façam. Quando peço licença, quando peço desculpas, quando ofereço meu braço, quando faço um elogio. Quando trato a todos com respeito, quando prefiro o bom humor e garanto que pessoas devem ser valorizadas sempre pelas suas ideias, iniciativas e ações.

Há amor em mim quando reduzo, reuso, reciclo, quando separo o lixo, quando economizo água, quando apago a luz. Quando uso sacolas retornáveis, não piso na grama, quando sei que minha casa – cidade – planeta são uma coisa só.

Há amor no meu olhar, no meu colo, no meu abraço. Acredito que esse amor tem valor, tem o poder de mudar o mundo que meu braço alcança. Escolhemos como queremos viver. Eu escolho amar.

01

 

Você também pode gostar de…

Apetites

DSCN0717Abanque-se

Fotografias

Read Full Post »